[OFF] – Que Livro devo ler?

novembro 26, 2008

Furei o recesso desse blog para postar algo que me encomoda a tempos. Ontem, um colega de minha faculdade me perguntou: “Cara, que livro devo ler para me tornar um crack em Linux, pois o pessoal ta contratando caras experts em linux?”.

Qual foi meu espanto quando percebi que não tinha resposta. Como indicar algo a uma pessoa que não quer saber na verdade aquele algo? Como dar ao materialista alma, se o que ele quer esta abaixo disso?

Quem me conhece sabe o quanto minha opinião é “forte” em relação ao mercado. O mercado é composto de pessoas doentes que contratam pessoas enfermas. Não consigo ver, até onde meus olhos já enxergaram, nada além disto.

A faculdade ainda me deixou com um olhar mais crítico das coisas, pois mão vejo mais que pessoas comuns se formando. Ora, senão são elas que encheram o mercado?

Saber uma coisas ou outra, ter uma certificação, ou qualquer outra coisa que prove sua incapacidade mental de raciocinio é fácil. Como eu poderia explicar então a esse questionador? Como poderia eu dizer como o Linux funciona, como a comunidade funciona, se ele não quer saber isso? se o que move ele a aprender essa arte não é o “amor”?

Esse cara se fosse meu chefe, teria eu medo dele. Alias quantos chefes assim não existem? Quantas pessoas que se dizem sábias no uso do GNU/Linux não o utilizam apenas o necessário em um ambiente Microsoft Windows com o Putty, ou em um ambiente virtual?

Para quem não me conhece pessoalmente, acima esta a justificativa de muitos me chamarem de xiitas. Coisa que não sou, só tenho uma visão diferenciada da maioria.

Enfim, não tinha eu como explicar a ele, tal coisa senão apertar o <TAB> em um terminal Bash, e para cada linha que aparecer, em outro terminal, digital o termo da linha antecedido pela palavra man!

Mas, o que estou fazendo?, talvez fechando a porta para o mundo do “GNU/Linux” e esse questionador? Estaria transformando a comunidade em um grupo seleto de pessoas?

Não, na verdade, o que eu desejei que ele pudesse ver a grandiozidade dessa arte, aprendendo o que todos os grandes sábios aprendem para se tornarem sábios. Ser seu próprio Mestre.

Há no mundo da informática um inconsciente coletivo, que leva a todos a terem um padrão. Esse padrão que levas as pessoas doentes de RH a traçarem perfis de profissionais. Assim se da o câncer das empresas, que já existem para ser o fracasso exemplar do futuro. Se o que as sustentam são um ou outro dentro dela, que por sorte, o RH contratou!

Esse dialogar é de certa forma fútil e impreciso. Mas o que me fez esse pequeno questionador refletir. Como posso eu ajudar e colaborar em uma mudança? Como ser um remédio curador para essa enfermidade que toma o mercado?

A resposta é bem breve e curta: Não sei!

O que sei, é que faz necessário as empresas passarem a valorizar as individualidades das pessoas, o processo criativo, e que seres humanos existem para viver e que o trabalho é parte do prazer da vida.

Porque o Google é tão adorado em nosso meio? Nunca trabalhei lá, mas a imagem que ele passa, para Geeks, nerds, e pessoas que meus vizinhos chamariam de “inteligentíssimo, porém estranho”, idolatram; de uma forma ou de outra.

Assim, não poderia eu deixar esse questionador torna-se  uma cobra para habitar esse covil.

Veja exemplos de pessoas como: Linus Tovalds, Steve Jobs, Charles Babbage… entre outras almas inquietas da humanidade que não fizeram nada além do que nos trazerem a evolução de nossa espécie. Não podia eu me esconder e opor-me ao que sei.

Isso é um pequeno desabafo dos dias que vivêncio, e dos medos que as pessoas fracas depositam nas demais. Nas opinião formada sobre o GNU/Linux ser difícil. Sobre críticas infundadas e sem carater algum de solidez que são realizadas a comunidade do Open Source. Aos charlatães, que se dizem técnicos, e que não fazem nada além de queimar as imagens respeitáveis de pessoas; que algumas tenho o prazer de conhecer e me espelhar; que bailam sobre um terminal e que fazem do trabalho mais do que um remunerador semanal.

Tudo isso é forma pequena de expor a incapacidade academica de muitos professores formadores de opniões nas faculdades e em muitos lugares, que não executam seu papel como “Luz a escuridão”. Ao “mercado” que é pura e simples consequência dessa decadência.

E ao questionador, peço desculpas por em você ter descontado toda essa opnião, sem valorizar seu sentimento real, um emprego fácil e que pague bem.

Anúncios

5 Respostas to “[OFF] – Que Livro devo ler?”

  1. Vinicius Says:

    Engraçado, trabalhei em uma empresa recentemente, onde tinha varios “experts em linux” iguáis a esse que você citou no texto.
    Acho que vou passar esse link para esses meus colegas.

    Boa Osti.
    Abraço

  2. Fernando Ike Says:

    Isso é quase um texto Jedi. :)

  3. Hugo Says:

    Texto interessante!

    Isto cai bem com o conceito dos “mappers” (mapeadores) e “packers” (empacotadores).
    Veja:
    http://the-programmers-stone.com/the-original-talks/day-1-thinking-about-thinking/

    Basicamente os mappers são aqueles criativos, que imaginam que tem conceitos na mente. Os packers são aqueles que guardam e usam soluções prontas, que armazenam informações ao invés de fazer reflexões.

    É o caso do seu amigo que pensa que pode virar um hacker de Linux lendo apenas um livro. Livros ajudam muito e ás vezes são um ótimo aprendizado, mas nunca existirá um livro que torne alguém um hacker.

    Mas a maioria das escolas (isso, desde o esino básico. não é só a faculdade) valoriza os packers é a norma social.

    Eu mesmo comecei a user Linux de verdade faz poucos meses. Posso dizer que sou ainda um iniciante. Peguei alguns livros e consultei-os poucas vezes. O que mais aprendi foi mesmo apanhando, configurando o servidor do meu blog, arrumando meu ambiente. Fui aprendendo a medida que foi necessário. É um processo um pouco lento, mas espero que minha produtividade vá aumentando.

    E correções na sua ortografia:
    opinião
    grandiosidade

    abs, até mais!

  4. telles Says:

    Caracoles… como eu não li seu blog antes??? Cara, seu texto tá muuuuito bacana. Tá precisando de uma revisão de gramática urgente (ok, eu cometo o mesmo pecado e vivo recebendo comentários com correções assim). Concordo com o fike, é um texto Jedi! Vejo que você deixou de ser padawan há tempos.

    Mas gostaria de deixar uma opinião aqui. Eu acredito que a origem do mal está nos Steves. Depois que os microcomputadores se espalharam pelo mundo afora e passaram a frequentar as casas de mortais que podiam pagar alguns milhares de dólares (mesmo que no crediário, como foi o caso do meu pai) há pouco mais de um quarto de século atrás criou-se um mito. O mito de que surgiu no mercado um mercado de trabalho novo onde se podia ganhar dinheiro fácil. Os cursos técnicos e superiores de informática pipocaram no mundo inteiro.

    Houveram os que como eu e você começaram desmontando computadores, programando em Basic (hoje seria Python, mas dá no mesmo), fuçando aqui e ali, pesquisando muito e aprendendo com os erros. Houveram milhões que entraram em cursos de informática e ganharam pedaços de papel que lhes conferem o justo direito de trabalhar nesta área.

    A verdade é que não é preciso um talento especial para trabalhar em informática, ao contrário do que muitos pregam. Precisa sim é de “gostar” de informática. Não vou chamar isso de “amor” para não ficar muito boiola aqui. :-P

    O fato é que quando alguém pergunta por uma fórmula mágica para ganhar dinheiro com Linux, dá mesmo vontade de dar logo uma raquetada na orelha do sujeito. O povo do Software Livre criou um reduto de pessoas que realmente gostam de informática. Mas o mercado abraçou o Linux… então as múmias paralíticas que lêem livros do tipo “como aprender Visual Basic em 24 horas” aparecem aos montes.

    Mas eu sou teimoso, acredito nesse tal de ser humano, por mais que ele dê provas cabais de que os idiotas vão sempre ganhar o braço de ferro do “processo civilizatório” da humanidade. Então eu sempre acho que cada newbie é um possível hacker em potencial e vou eu lá ajudar o cara. Mas ajudar não é dar papa na boca. Então o que aprendi com o master blater fuckin jedi fike, é dar sempre uns choques no cara e mandar uns desafios para o cara se virar. Claro, não são desafios impossíveis, mas que se ele alcançar 50% do objetivo proposto sem ajuda de ninguém, ele se destacará como acima de 99% da mediocridade geral.

    Ou seja, se o cara se dispuser a ralar, você adota o cara como padawan, se não, deixa claro para ele “informática não é para mané”, melhor virar chefe ou vendedor. O mundo precisa de chefes e vendedores com talento também, se você não gosta de desafio e estudar que nem um condenado, sua praia deve ser outra.

    Acho que é isso. Já disse que eu gostei do texto? Parabéns cara. Considere-se linkado!

    []s


  5. \ | | | /
    ( O_o )
    . . ~ . .

    PUTS!

    Não foi a toa que você pode me ajudar com a dica do forum archivum!

    Excelentes palavras. Realmente, hoje em dia é difícil encontrar alguem que ame o que faz. Geralmente a parte financeira fala mais alto, e pessoas despreparadas e sem amor tomam o lugar de verdadeiros profissionais.

    “Dinheiro é consequência”

    Fike bem!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: