Archive for the 'Outros' Category

[OFF-TOPIC] A importância da equipe

setembro 10, 2011

Uma coisa posso tirar como certeza nessa minha vivência no mundo de tecnologia: a equipe é fundamental. Não acredito, por mais que me afirmem por alguém que trabalhe sozinho o contrário, que essa afirmação não se aplique. Seu trabalho sempre é, de uma forma ou de outra, interferido por um outro agente. Seja ele externo ao projeto ou não, o fato é que nunca se trabalha sozinho.

Claro, só posso falar sobre meu ponto de vista e minhas experiências, estas afirmações só cabem ao que vivenciei. Penso que uma pessoa, um técnico, só consegue atinger o que seu cérebro pode realizar, não somente por si só, mas sim, de tudo que o envolve na tarefa. O que quero dizer é que: a equipe é fundamental para seu sucesso, satisfação, aprendizado e principalmente, para sua própria evolução técnica e pessoal.

Nas apresentações motivacionais, em textos, livros, etc, sempre se fala em motivar-se, mas acredito que sozinho não se pode atingir grau algum em sua vida profissional.

O ambiente em que se desenvolve as ideias, a sincronia de pensamentos e conversas, deve exclusivamente, em um ambiente bem “gerenciado” e bem afinado entre as pessoas.

O grande erro, em minha visão, é que o que sinto hoje entre os profissionais, é um certo exagero no que tange ao “ego”. A maioria das coisas na empresas são conquistadas em “gritos” – ou falácias. Isso demonstra que o poder das palavras, dos posts em blogs, são muito mais impactantes que as ações propriamente ditas. O resutaldo disso é que sempre se discute um novo sistema, enquanto o antigo, é o que se está no ar , desprende-se muito pouco esforço para a solução do problema real.

Sempre uma pessoa se destaca em uma equipe, mas longe de roubar o mérito dela porém, não é mérito apenas dela. Isso só é possível, quando assim a equipe proporciona, ou seja, trabalhar em equipe é fundamental ao seu sucesso profissional e intelectual.

Penso que as vezes, nós os técnicos, deveriamos dar intervalos em nossas leituras técnicas para poder aprender, ou vivênciar, outras experiências, assim, podermos ter uma visão melhor de nossas tarefas, ferramentas e do que realmente nos traz gratificação em nossa tarefa diária.

Esse texto, embora bem tolo,  é um pequeno esforço em mostrar que a equipe é fundamental para seu desenvolvimento e que sozinho não se pode conquistar muitos objetivos. Seja sua equipe um grupo de estrangeiros que você nunca viu, as pessoas que estão sentada ao seu redor agora, as pessoas que fazem parte da mesma comunidade que a sua. O papel dela é fundamental em seu desenvolvimento e no desenvolvimento de suas tarefas.

Pam e Authlogic

junho 18, 2011

https://github.com/canweriotnow/authlogic_pam

Estou também deixando de manter o Rpam mas este projeto não estará orfão, já tem pessoas portando ele para ruby 1.9 e mantendo esse projeto para integração do Ruby com o PAM.

 

 

 

 

Outra Reflexão

fevereiro 22, 2011

Recentemente estava discutindo sobre Universidades, Escolas, Profissões, etc… com amigos quando, na lista do Rails-br, saiu uma thread sobre uma vaga na qual questionei a questão da graduação. Com isto, a thread tornou-se um pouco movimentada.

O que me faz refletir: como se dá as mudanças hoje em “nosso meio” e como se forma as mentes deste “meio”? O vídeo abaixo, acredito ser uma boa reflexão sobre esse assunto.

Não sei quantos são os que lêem este blog. Destes, quais se atentam apenas a informação e quais compreendem mesmo o contexto que estamos inseridos – não as informações deste blog, mas a realidade social que estamos. Mas, uma nova forma de “se ter o conhecimento” já deveria estar sendo discutida. No entanto, eu vejo que uma nova forma de se desenvolver o conhecimento  já existe no mundo “Open Source” e, é a única que realmente ensina.

Recentemente li o livro de Ivan Illich com o título: Sociedade sem Escolas e me lembrei de alguns textos do Fábio Akitaeste aqui é um deles – sobre a questão profissional, generalista, matando a média, etc. O que atento é como isso é mau digerido e o quanto uma reflexão mais profunda do contexto atual pode trazer claramente novas formas de se pensar e agir. Neste livro também, compreendi muitas coisas paralelas como o que já existe no mundo Open Source.

Mas enfim, fica ai a dica do vídeo.

Uma Tola Reflexão

janeiro 17, 2011

“O seu tempo é limitado, então não o gaste vivendo a vida de um outro alguém.
Não fique preso pelos dogmas, que é viver com os resultados da vida de outras pessoas.
Não deixe que o barulho da opinião dos outros cale a sua própria voz interior.
E o mais importante: tenha coragem de seguir o seu próprio coração e a sua intuição. Eles de alguma maneira já sabem o que você realmente quer se tornar. Todo o resto é secundário.” - Trecho traduzido do discurso de Steve Jobs em stanfold.

Nunca me interessei por Steve Jobs, nem Apple nem Microsoft. Apenas me interessei pelos cabeludos loucos que pregavam a ideia de um software no qual eu pudesse ler o código e modifica-los. Sempre me chamou a atenção a ideia de ajudar e compartilhar no conhecimento do homem. Mais do que códigos eu vi nesta filosofia uma ação muito mais profunda que códigos em assembly.

Logo que conheci já estava tão envolvido, que ao me redor só tinham pessoas que usavam Debian GNU/Linux e Slackware Linux. Eu mesmo era um grande e fervoroso usuário do Slackware. Em meu primeiro emprego de desenvolvimento, minha estação era um Slackware Linux no qual eu usava-o em modo texto apenas. Desenvolvia páginas e sites com PHP, MySQL, CSS, XHTML, etc…Em 2004 eu usava o pine, o vim e o links.

Mas alguma coisa com o tempo se perdeu para mim. Alguma coisa que não sei expressar, e somente aos que vivenciam podem perceber. A ilusão da imagem que tinha de alguns ícones, passou a tomar a forma das necessidades reais. Necessidades que eram construídas por pessoas dentro e fora deste mundo. Necessidades que eram atendidas por linhas sonhadoras de códigos que passavam por mãos sábias a mentes contábeis.

Um “hacker” precisa sobreviver, nesta necessidade ele ignora estas linhas sabiamente ditas por steve jobs. Ignora, pois é assim, é assim que os demais fazem. Não tem porque serem diferentes.

Sempre fui um admirador do Kernel Linux, mas minha carreira se direcionou para um outro caminho. Sinto as vezes uma certa frustação por não ser tão sábio nesta área como gostaria de ser. Mas no fundo, hoje, não consigo mais ver a importância desta vontade. Acredito que em algum momento passei a viver a vida profissional. Essa vida que todos vivem, com roupas sociais ou não. Nesse ponto, não só eu, mas muitos amigos meus que observo passaram a fazer o inverso das afirmações acima de Steve Jobs. Acho que no atual ponto, onde a linhas no vim se tornam holerites, muitos não se espelham mais na simplicidade do encaixe dos comandos no bash, mas sim na imagem de sucesso de outras pessoas. Outros que se vendem, que se afirmam em longas e fabulosas histórias em seus blogs.

Os outros me foram desanimadores. Pois quando passei a viver neste mundo, percebi que o ego era muito mais elevado que a sabedoria e prática. Percebi que o importante era exaltar e não ter linhas de código. Percebi que o importante e parecer ser, e não na realidade ser. Os que eram, estes não eram valorizados. Os que eram, estes eram esquecidos em cantos de algum escritório mas jamais despedidos, pois se fossem, quem iria fazer de verdade? Pela experiência vi diante de mim, pessoas que hoje na “comunidade” são exaltadas, caírem de seu pedestal egocêntrico ao se tornarem práticos pela necessidade.

Mas não quero aqui apontar o dedo a ninguém, nem sei se tem alguém que ainda acompanha esse blog. Minha intenção aqui é apenas um referência para mim, para com o tempo, saber por onde andei e o que me fez chegar onde estou.

Nesta selva, estas linhas do discurso de Steve Jobs se tornam completamente avessas. Acho que é por isso que realmente chama a atenção nas pessoas, pois são pequenas verdades ai contidas. Verdades demais para se por em prática. Ontem eu vi que você podia fazer. Hoje eu vejo, que você se encaixa no que faz. Ontem eu vi, que eu poderia mudar. Hoje eu vejo, que é necessário apenas manter e que as coisas são tão ruins, que o mínimo diferente que você faz se torna inacreditável para a maioria que não percebe a sutil simplicidade das coisas. Ontem ditava-mos as regras. Hoje, seguimos as regras. Quem hoje são os espelhos das gerações que se formam e contribuem para o engrandecimento? Quais as comunidades que surgem, e quais os e-mails, que nas listas de discussão, se tornam raros? Quem hoje cria os dogmas a serem seguidos, quem hoje cria o molde a ser seguido? Qual as opiniões hoje que calam a minha, a sua, voz interior? Quais os resultados que seguem, qual esse tutorial do sucesso?

Assim, permaneço em busca do Mágico, que me dará sabedoria, coração, coragem ao qual me levaram para casa!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.